Sobre o Monitoramento da Atividade Pesqueira em Santa Catarina

O Projeto de Monitoramento da Atividade Pesqueira no Estado de Santa Catarina - PMAP-SC vem sendo desenvolvido pela Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI desde maio de 2016. As atividades de campo iniciaram em 1º de agosto desse mesmo ano e serão conduzidas até julho de 2020. Estão sendo monitorados a produção, o esforço e as áreas de pesca industrial e artesanal em 35 municípios litorâneos de Santa Catarina. Também está sendo realizado o cadastramento dos pescadores artesanais em atuação no Estado, além das embarcações, infraestruturas de apoio (p.ex. ranchos, trapiches, fábricas de gelo, postos de abastecimento de combustíveis entre outros) e entidades ligadas direta ou indiretamente à atividade pesqueira. A caracterização socioeconômica dos pescadores artesanais também faz parte das atividades do projeto.

Ao final dos trabalhos essas informações serão utilizadas para avaliar as potenciais e reais interações da pesca com as atividades relacionadas à cadeia produtiva do petróleo e gás na Bacia de Santos. Além disso, as informações disponibilizadas de modo agregado ao público por meio deste portal e dos relatórios técnicos do projeto, sempre respeitando o sigilo das fontes, poderão ser utilizadas pelo setor produtivo, por órgãos governamentais, pesquisadores, pela imprensa e pela sociedade em geral, para melhor conhecer e compreender a realidade da pesca em Santa Catarina. Além disso, poderão auxiliar a balizar a tomada de decisões estratégicas pelo setor e a elaboração de políticas públicas que tenham como objetivo a melhoria nos setores da pesca costeira e marinha do Estado.

A equipe do PMAP-SC é formada por 38 profissionais entre professores e técnicos de nível superior. Esse grupo tem à sua disposição uma frota exclusiva de veículos personalizados e uma completa infraestrutura de informática para a coleta e processamento dos dados. O campus Itajaí da UNIVALI abriga a sede do projeto e as equipes de monitoramento estão estrategicamente distribuídas em dez municípios das regiões Norte (Joinville e São Francisco do Sul), Centro-Norte (Itajaí e Itapema), Central (Biguaçu e Florianópolis), Centro-Sul (Imbituba e Laguna) e Sul (Araranguá e Passo de Torres), de onde os profissionais partem diariamente para a coleta de informações nesses e nos demais municípios vizinhos. Duas outras equipes volantes estão percorrendo todas as localidades pesqueiras do litoral para realizar as tarefas de cadastramento e caracterização socioeconômica.

A pesca industrial está concentrada em poucos municípios catarinenses. Neles, o monitoramento da atividade industrial voltou a ser conduzido com a mesma metodologia censitária empregada pela UNIVALI entre os anos 2000 e 2012. Desse modo, por meio do PMAP-SC, a universidade reestabeleceu esse serviço de utilidade pública que vinha sendo mantido anteriormente por meio de convênios celebrados com o Governo Federal.

Por outro lado, a pesca artesanal em Santa Catarina é realizada por milhares de pescadores em mais de 300 localidades pesqueiras, em todos os municípios litorâneos e empregando uma grande diversidade de aparelhos e artes de pesca. Para monitorá-la, foi necessário desenvolver uma metodologia amostral que consiste no monitoramento de uma amostra mensal de localidades pesqueiras e de pescadores e a posterior expansão estatística dos resultados de produção e esforço para a totalidade de pescadores em atividade. Ao mesmo tempo, é necessário manter um cadastro atualizado dos pescadores em atividade em cada localidade e município do Estado.

Os dados agregados referentes à pesca industrial coletados pelo PMAP-SC a partir de agosto de 2016 já podem ser consultados neste portal. Também estão disponíveis os dados relativos aos anos de 2000 a 2012 e que antes eram acessados por meio do antigo site do Grupo de Estudos Pesqueiros da UNIVALI (GEP/UNIVALI). Clique aqui para realizar a sua consulta.

Já os dados referentes à pesca artesanal só serão disponibilizados no portal após a conclusão do cadastramento dos pescadores artesanais. Isso porque, sem que seja conhecido o número total de pescadores efetivamente atuantes no Estado não é possível estimar corretamente os valores globais de produção e esforço pesqueiro desse segmento.

Equipe

Paulo Ricardo Pezzuto

Coordenador Geral

Gislei Cibele Bail Braun

Coordenadora Operacional

Rodrigo Sant'Ana

Coordenador Técnico

José Angel Alvarez Perez

Pesquisador

Roberto Wahrlich

Pesquisador

Ana Paula Rosso

Analista de Dados

Bruna Nolasco Pereira

Supervisora - Região Norte

Rafael Almeida da Silveira

Supervisor - Região Centro-Norte

Elisângela de Souza Brasil

Supervisora - Região Central

Fábio Rodrigo de A. Lopes

Supervisor - Região Centro-Sul

Francieli Andrea Bedin

Supervisora - Região Sul

Bibiana Gottems Furtado

Digitadora

Paulo Luciano S. dos Santos

Digitador

André Luís Bembem

Monitoramento - Socioeconomia

Emerson Fritzen da Silva

Monitoramento - Socioeconomia

Guilherme B. Companhoni

Monitoramento - Joinville

Rafaella Madeira B. de Faria

Monitoramento - Joinville

Henrique Maia Gomes

Monitoramento - São Fco. do Sul

Murilo Vallezzi Muller

Monitoramento - Itajaí

Ralf Otto Hosang

Monitoramento - Itajaí

Ramon Luiz Corrêa

Monitoramento - Itajaí

Michel Rômulo dos S. Couto

Monitoramento - Itajaí

Priscila Oliveira dos Santos

Monitoramento - Itajaí

Ana Maria Kalinke Pereira

Monitoramento - Itapema

João Pereira Diniz Silva

Monitoramento - Itapema

Ana Luiza de Oliveira Rezende

Monitoramento - Biguaçu

Tanise Klein Ramos

Monitoramento - Biguaçu

Natan Liz De Nale Zambelli

Monitoramento - Florianópolis

Renata Assunção

Monitoramento - Florianópolis

Patrícia Falcão Bueno

Monitoramento - Imbituba

Joana Nobre Niehues

Monitoramento - Laguna

Wagner João Vieira

Monitoramento - Laguna

Rafael Martins Pinheiro

Monitoramento - Araranguá

Antonio Carlos Pereira Junior

Monitoramento - Passo de Torres

Gustavo Zanfra Paitch

Monitoramento - Passo de Torres